quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O discurso de Putin para as elites ocidentais        


 Resultado de imagem para ChinaDaily

tradução por mberublue         



Para a elite ocidental: as brincadeiras terminaram.

O blogger russo chipstone resumiu os principais pontos do discurso de Putin (no Clube Valdai - NT) assim:

1)    A Rússia não vai mais se interessar nem tomar parte em negociações de bastidores ou sobre besteiras. Mas a Rússia está preparada para conversações sérias e mesmo possíveis acordos que levarem em conta a segurança coletiva, forem conduzidas lealmente e levarem em consideração os interesses de todos os lados.

2)    Não há segurança global e o sistema de segurança coletiva está em ruínas. Já não existe qualquer garantia internacional que garanta a segurança e a entidade que destruiu o sistema mundial de segurança tem nome e sobrenome: Os Estados Unidos da América.

3)    Os construtores da assim chamada Nova Ordem Mundial falharam, e construíram apenas um castelo de areia. Haja ou não qualquer tipo de elaboração de uma nova ordem, isso não será decisão russa, mas tal nova ordem mundial não será erigida sem a presença da Rússia.

4)    Em relação à introdução de inovações de ordem social, a Rússia mantém uma posição conservadora, mas não se opõe à investigação e discussão de tais inovações, para ver se a introdução delas pode ou não ser justificada.

5)    a Rússia não quer nem tem intenções de pescar nas águas turbulentas criadas pelos Estados Unidos em sua eterna tentativa de expansão do “Império do Caos” e também não tem o menor interesse em criar um novo império para si mesma (não há necessidade disso; os desafios da Rússia permanecem no desenvolvimento de seu próprio e vastíssimo território). Nem pretende agir como se fosse o salvador do mundo, como tentou fazer no passado.

6)    a Rússia não tentará promover a reforma de nenhum país à sua própria imagem, mas também não permitirá que nenhum país tente reformá-la à imagem do que quer que seja. Não se fechará como uma concha em relação ao resto do mundo, mas que ninguém tente isolá-la do mundo, porque com certeza encontrará uma enorme encrenca no caminho.

7)    A Rússia não quer a guerra, não tem intenção de começar nenhum conflito, nem deseja que o caos se espalhe entre quaisquer países. No entanto, a Rússia entende que um conflito global no contexto atual é quase inevitável, e está preparada para isso neste momento e continuará preparada no futuro. A Rússia com certeza não deseja a guerra, mas também não a teme.

8)    A Rússia não tem a menor intenção de interferir ou contestar os esforços daqueles que pretendem construir aquela “Nova Ordem Mundial”, desde e até o momento em que interfiram com os interesses nacionais da Rússia. A Rússia prefere ficar observando de perto os que desenvolvem esses esforços para ver até onde suas pobres cabeças podem ir. Porém, podem estar certos aqueles que pretenderem arrastar a Rússia para o remoinho desse processo, com descaso prejudicial aos seus interesses: Conhecerão o sentido da palavra dor.

9)    Para o exterior, e mais ainda para o interior, a Rússia não contará com negociações de bastidores com as elites, mas agirá sempre no interesse de seu povo.

A estes nove pontos, gostaria de acrescentar ainda um décimo:

10)  Não se pode descartar uma chance que permanece de construir uma nova ordem mundial e ao mesmo tempo evitar uma Guerra Global. Esta nova ordem mundial deve necessariamente incluir, claro, os Estados Unidos, mas apenas nos mesmos termos que qualquer outro país; sujeito às leis e acordos internacionais; evitando a tomada de qualquer ação unilateral e respeitando totalmente a soberania e os direitos dos demais países.


Para resumir tudo: é tempo de começar um novo jogo. Crianças, deixem de lado seus brinquedos. Agora chegou a hora dos adultos tomarem suas decisões. A Rússia está pronta para isso. O resto do mundo também está?