quarta-feira, 18 de junho de 2014

IRAQUE: 17/6/2014, Relatório de Situação, SITREP


Mindfriedo,* The Vineyard of the Saker


Tradução do Coletivo de Tradutores Vila Vudu

combatentes do ISIL

– 16/6: Forças Aéreas do Iraque atacam alvos do ISIL (orig. Daash, sigla de “Estado Islâmico no Iraque e Levante”, em árabe transliterado).


– 16/6: ISIL transferiu de Mosul todo o equipamento militar pesado. A maior parte do equipamento pesado foi levado para a Síria. 


– 16/6: O governador baathista de Mosul, Coronel Hashem al-Jammas, está dando 20 horas de eletricidade a mais para os moradores de Mosul, diferente de antes, quando eram só duas horas. 


– 16/6: Arábia Saudita culpou o atual governo pela rebelião sunita. Culpam as políticas sectárias de Maliki como principal causa da insatisfação dos sunitas. 


– 16/6: Uma bomba explodiu num ônibus de passageiros no centro de Bagdá, matando seis civis. 


– 17/6: O governo iraquiano, em declaração, culpou a Arábia Saudita por apoiar os rebeldes: “Consideramos a Arábia Saudita culpada pelo que aqueles grupos estão recebendo em termos de apoio financeiro e moral. O governo saudita deve ser responsabilizado pelos perigosos crimes cometidos por esses grupos terroristas.” 


– 17/6: Exemplos de tweet de propaganda pró ISIL: Bagdá caiu. Bombardeadas as embaixadas dos EUA e Irã. Maliki fugiu. Comandante militar fugiu para a Alemanha. Pesadas baixas nas forças iraquianas. 


– 17/6: Os rebeldes são constituídos de três elementos: 

  
    Islamistas: ISIL e outros grupos islamistas extremistas (tropas de choque);
    O Conselho Militar: Ex-oficiais do exército iraquiano (os principais trabalharam contra os islamistas sob comando dos EUA, mas agora se alinharam com o levante sunita;

    A Ordem Naqshabandi: ex-ba’athistas liderados por Ibrahim Izzat Al Douri; é o elemento mais fraco dos três, e seus membros são quase todos ex-ba’athistas. 


– 17/6: Na partilha do poder em Mosul, o grupo ISIL entregou a administração ao Conselho Militar. O Conselho Militar insistiu em que o ISIL retirasse da cidade os seus combatentes estrangeiros. 


– 17/6: ISIL mandou que as mulheres em Mosul permanecessem dentro de casa e proibiu todas as modalidades de entretenimento e bebidas alcoólicas. 


– 17/6: Cartazes de Saddam que se viam por toda a cidade de Mosul foram motivo de discussão entre o ISIL e a Ordem Naqshabandi. 


– 17/6: Ali Shamkhani , chefe do Supremo Conselho de Segurança Nacional Iraniano, sobre uma dita cooperação Irã-EUA no Iraque: É parte de uma guerra psicológica; é informação absolutamente irreal publicada pela imprensa-empresa ocidental. Como já dissemos, se houver pedido oficial do Iraque, estaremos prontos a estudar o pedido, à luz das regras internacionais,  e só nós, sem qualquer ligação ou referência a qualquer outro país”. 


– 17/6: Rouhani atribui o alastramento do ISIL, diretamente, a efeito de o ocidente e seus aliados terem armado a oposição síria. Disse que “Nós os alertamos há um ano, que esses terroristas eram um perigo para toda a região. [Mas] eles lhes enviaram armas – ou seus colegas na região enviaram armas àqueles mesmos terroristas.” 


– 17/6: Ataque durante a noite a um posto de polícia em Baquba resultou na morte dos detidos que lá estavam. Os rebeldes dizem que milícias xiitas e pessoal da segurança executaram os prisioneiros sunitas, quando os rebeldes tentavam libertá-los. O governo diz que os rebeldes mataram os prisioneiros. 


– 17/6: O Reino Unido decidiu reabrir a embaixada em Teerã. 


– 17/6: Autoridades sírias dizem que impediram que se concretizasse um ataque químico que o ISIL planejava.


– 17/6: Nasrallah disse no domingo: “Se o Hezbollah não tivesse decidido agir na Síria desde o início, e no momento certo, o ISIS estaria hoje em Beirute” [17/6/2014, em
http://tehrantimes.com/world/116362-isil-in-beirut-if-not-for-hezbollah-intervention-nasrallah]. Mencionou também que a conclamação feita por Sistani não foi só para os xiitas do Iraque, “não visou a proteger uma seita específica, mas a proteger todo o Iraque.” 


– 17/6: Notícias de combates pesados em Baquba; pesada resistência no caminho dos avanços dos rebeldes. 


– 17/6: A cidade turca de Basheer, 15 quilômetros ao sul de Kirkuk foi atacada pelo ISIL. Defensores e forças de defesa turcas repeliram o ataque, com a ajuda de forças curdas. A luta deixou ferido um brigadeiro comandante da polícia curda. Seis de seus guarda-costas foram também mortos. 


– 17/6: Forças curdas que ajudavam os turcomenos
[1] em Basheer teriam deixado os combates depois de comentários, pelos comandantes turcos, de que apoiavam o governo xiita de Bagdá e o status de Kirkuk. 


– 17/6: ISIL atacou Basheer novamente, pela segunda vez, depois que os curdos haviam partido.

– 17/6: O posto de fronteira em Al-Qaim entre Síria e Iraque está agora sob comando do Exército Sírio Livre e Frente al-Nusra, depois que Forças da segurança iraquianas abandonaram o posto. 


– 17/6: Arshad Sahili, presidente da Frente Iraquianos-turcomenos disse que se os curdos “recusarem-se a voltar a Kirkuk [para o governo do Iraque] nós combateremos contra.” Anunciou a criação de uma nova milícia turcomena.

– 17/6: O Governo Regional Curdo (KRG) diz que não tem planos para devolver Kirkuk ao governo central. Insistiram que darão proteção a todos os grupos étnicos. 


– 17/6: Há notícias de que o Governo Regional Curdo abriu a base militar local e permitiu que os residentes se autoarmassem. 


– 17/6: O Telegraph noticia que mais de 5 mil iranianos alistaram-se em milícias que podem ser enviadas para defender os locais sagrados dos xiitas no Iraque. 


– 17/6: Já está confirmada a presença, no Iraque, de Ghasem Soleimani, líder da força Qods [grupo de elite do Corpo de Guardas Revolucionários do Irã]. Os EUA foram informados com antecedência, da chegada dele. 


– 17/6: Já há confirmação de que Tal Afar está sob controle do ISIL. Mas partes da cidade permanecem sob controle do governo. 


– 17/6: O governo despachou 1.200 combatentes da Brigada de Ouro, sua unidade xiita de elite, para Tal Afar, para reforçar as forças oficiais naquela cidade. 


– 17/6: Centenas de milhares de famílias xiitas estão caminhando agora na direção de áreas controladas pelos curdos. Temem a ‘limpeza étnica’ nas mãos do ISIL


– 17/6: Nechirvan Barzani, premiê do enclave curdo, disse que nada retornará ao que havia antes. Seus comentários parecem confirmar que o Iraque será dividido por linhas étnicas. Sugeriu também que sunitas iraquianos sejam consultados sobre se desejam um estado independente. 

– 17/6: Al-Suleiman Majid Ali Suleiman, chefe da tribo sunita Al-Dulaim, declarou que “Rejeitamos toda e qualquer pessoa que dê as mãos ao ISIL.” 


– 17/6: ISIL controla certo número de vilas na área de Saadia no norte da província de Diyala. Funcionários da administração local estão sendo obrigados a permanecer nos postos de trabalho. Metade da população fugiu. Funcionários locais pediram ao governo em Bagdá que permita que as forças Peshmerga ajudem no combate contra o ISIL


– 17/6: Baiji, ao norte de Samarra está em mãos do ISIL. A refinaria de petróleo nos arredores da cidade está ainda sob controle do governo, mas cercada por rebeldes. A produção de petróleo foi suspensa e os trabalhadores foram evacuados. 


– 17/6: O presidente Rohanni do Irã distribuiu fotos em que aparece assistindo ao jogo Irã e Nigéria, pela Copa do Mundo. Calça chinelos e toma chá. É claro o contraste com os tweets sanguinolentos do ISIL, como observou Robert Tait, correspondente [do Telegraph] para o Oriente Médio. 


– 17/6: Prosseguem os combates ao norte de Bagdá. *****




* Mindfriedo é comentarista do blog The Vineyard of the Saker, que começará agora a publicar “Relatórios de Situação” [orig.SITREPs] sobre o Iraque (sobre isso, ver http://vineyardsaker.blogspot.com.br/2014/06/several-important-announcements-about.html) OBRIGADO, Mindfriedo! [NTs]