sábado, 26 de setembro de 2015

Chineses navegam para a Síria

 Resultado de imagem para Fort Russ
25/9/2015, 
Maxfux (trad. ru.-ing. Kristina Rus), Fort Rus
Tradução do Coletivo de tradutores da Vila Vudu.

Lembram-se dos exercícios militares conjuntos de Rússia e China no mar e em terra? Com exercícios de desembarque e combate contra terroristas em áreas litorâneas? Pois aqui está a resposta de por que treinaram juntas.


Rusvesna: "Veículo árabe [Al Masdar News] noticia que um contingente militar da República Popular da China está a caminho de Latakia, esperado a qualquer momento em portos sírios. Um navio chinês de transporte, com carga militar foi avistado na 3ª-feira pela manhã, cruzando o canal de Suez.


Informações sobre especialistas militares chineses a caminho de Tartus foram confirmadas pelo comandante do Exército Sírio. A matéria conclui que Moscou criará na Síria uma coalizão antiterror que será versão alternativa da aliança que os EUA formaram para abastecer e armar os terroristas do ISIS. 


A entrada da China na luta pela Síria será importante acréscimo à declaração de hoje, do Ministério de Relações Exteriores do Irã. Em conferência de imprensa com RT, o vice-ministro de Relações Exteriores do Irã Hossein Amir Abdollahian declarou que o Irã se integrará à coalizão organizada pela Rússia, para combater contra o ISIS. Significativamente, Amir não falou de uma "aliança", mas de se criar ampla coalizão militar.

"Consideramos bem-vinda a proposta do presidente russo para o estabelecimento de uma frente comum na luta contra o terrorismo, e estamos prontos para a iniciativa de operações conjuntas e cooperação" – disse o vice-ministro iraniano de Relações Exteriores.


Que Rússia e Irã combaterão juntos contra os terroristas, fontes russas já anunciavam há uma semana. E a chegada da China para contribuir como mais uma força no grupo de apoio é mais do que se poderia ter imaginado. A presença da coalizão internacional altera a favor de Moscou o equilíbrio de poder – deixando livres as mãos russas para ação militar direta no Oriente Médio. 


Parece que a Rússia está voltando a se integrar ao Oriente Médio."*****



Comentário do Blogueiro: as notícias atualmente chegam rápido como as sandálias de Hermes. Parece que o oriente resolveu deixar as besteiras do ocidente de lado e agir na Síria. O fato de que Irã, Rússia e China concordaram em formar uma coalizão para combater o Estado Islâmico e outros tipos de organizações terroristas ou fará o “ocidente” deixar de ser hipócrita e agir, ou colocará os dois lados em conflito aberto (com o “ocidente” finalmente assumindo que apoia organizações consideradas terroristas, o que duvido que venha a acontecer). Como dizem os norteamericanos, as opções estão todas sobre a mesa. Mas as próximas semanas, como diz The Saker, serão muuuuuuito interessantes.