segunda-feira, 28 de abril de 2014

Relatório da Situação: Ucrânia
(SITREP) 28 de abril, 14h47min UTC/Zulu


 

The Saker


         •Insurgentes de fala russa tomaram sob seu controle os prédios da Prefeitura e da Câmara Municipal (Conselho do Município) da cidade de Konstantinovka, situada no oeste da Ucrânia. Os insurgentes declararam que estão nos prédios para proteger as autoridades locais (que são contrárias ao regime “revolucionário” de Kiev) de qualquer ataque pela Junta.

         •Quem apareceu em Donetsk foi o oligarca judeu Mikhail Khodorkovsky, para demonstrar seu apoio ao novo regime, provavelmente seduzido pela abundante         oligarquia da Ucrânia.  De acordo com Khodorkovsky, “Donetsk está na realidade longe de ser tão pro Rússia quanto poderia.”

         • Um atirador que não foi identificado baleou e feriu gravemente a Gennadi Kermes,  prefeito de Kharkov, atingido nas costas. O atirador deve ter usado um rifle de longo alcance. O projétil trespassou o corpo de Kermes, causando sérios danos a seus órgãos internos.

         •Durante o final de semana mais seis criminosos do Pravy Sektor (Setor de Direita – movimento neonazista da Ucrânia) foram presos quando tentavam sorrateiramente penetrar na área de Donetsk.

         •De acordo com o The Guardian, os judeus da Ucrânia não deveriam temer os neonazistas Banderistas, e sim a Putin, à Rússia e a propaganda russa.

         •Novas sanções contra a Rússia serão anunciadas por Obama.

         •Novas sanções contra a Rússia serão anunciadas pela União Européia.

         •No domingo, vândalos hooligans entraram em conflito com falantes de russo pro federação. Houve pessoas feridas, mas não mortes.

         •Apareceram na internet alguns falsos snuff-videos (1) supostamente feitos pelo Pravy Sektor mostrando policiais sendo mortos. Quase com certeza são falsos, mas até agora       não foi possível saber quem se encontra por trás disso.

Oleg Tsarev savagely beaten
Oleg Tsarev após a agressão.
         Uma interessante tendência está começando a emergir: o aprofundamento de uma ruptura entre, digamos, os líderes “oficiais” do leste ucraniano e seu próprio eleitorado. Estou falando de pessoas como Mikhail Dobkin, Gennadi Kermes (que foi baleado hoje) ou ainda outras pessoas que representam o Partido das Regiões no que sobrou do Parlamento ucraniano.  Os líderes da insurreição antirregime são inflexíveis na afirmação de que o Partido das Regiões e todos os seus membros já os traíram anteriormente por muitas vezes e que a simples ideia de participar de eleições presidenciais organizadas pela Junta em Kiev não passa de mais uma traição entre várias. Em um dos mais populares programas de mesa redonda da TV russa (“Domingo à noite com Vladimir Soloviev”) um dos representantes do Partido das Regiões supostamente “pro russos” acabou por discutir aos berros com cerca da metade dos convidados para o show, inclusos aí três representantes da insurgência pro russa no leste ucraniano e vários bem conhecidos analistas russos. Até este momento a figura “menos detestável” entre os políticos do leste ucraniano pode vir a ser Oleg Tsarev, expulso do Partido das Regiões e que inicialmente anunciara que concorreria à presidência do país, porém abandonou a disputa quando confrontado sobre isso pelo povo de Donetsk. Ele também é o político que foi convidado para o show ukie “Liberdade de Expressão”, que lhe garantiu proteção e posteriormente o abandonou para que fosse agredido gravemente e parcialmente despido por bárbaros neonazistas em frente à estação de TV.

         Por falar em estações de TV, logo em seguida à proibição de retransmissão da TV russa na Ucrânia, os insurgentes do leste ucraniano ocuparam e tomaram o controle de algumas estações de TV, restaurando a retransmissão da programação das estações de TV russas. Curiosamente, restaurou-se também a transmissão das TV’s controladas por Kiev. Eles não conseguiram colocar as estações ucranianas fora do ar.

         Até o momento a operação anunciada por duas vezes de submeter os falantes de russo no leste ucraniano nada conseguiu a não ser algumas pessoas mortas e a total radicalização da população local. A estratégia corrente de fazer o cerco às cidades rebeldes está fadada ao fracasso total, já que o tempo agora trabalha contra a Junta. Em minha opinião, o leste da Ucrânia atingiu a velocidade de escape, chegou ao ponto de não retorno e simplesmente não vejo hoje, uma figura que possa tornar realidade o hercúleo trabalho de federalizar a Ucrânia. Não apostaria que mesmo Putin pudesse atualmente conseguir isso.

         Finalmente, há bons sinais de que, definitivamente, existe gente tentando piorar as coisas. Tome como exemplo o snuff-video que mencionei anteriormente, ou, ainda nesse assunto, as filmagens de Kermes. Ironicamente, tanto o Pravy Sektor quanto os insurgentes, são ambos contra uma solução negociada e ambos têm contra a Junta no poder o mesmo sentimento de ódio. O tiro que feriu Kermes pode ter sido disparado por qualquer um dos lados.

         Anotação sobre a terminologia empregada:

       Uso muitas expressões que em minha opinião tem um valor neutro. Eu falo sobre os “insurgentes” no oeste da mesma forma que falava sobre os “insurgentes” da praça Maidan. Todos os que tomam em armas contra determinado regime são, do meu ponto de vista, insurgentes. Isso não implica condenar ou desculpar as suas ações. Da mesma forma, a expressão “regime revolucionário”. Regime revolucionário, para mim, é o que traz uma mudança radical na ordem, no staff, no governo, enfim. Lógico que essa mudança pode vir para o bem ou para o mal. Igualmente para “rebeldes”, que seriam os que não aceitam, que desobedecem de forma frontal as ordens de determinada autoridade. Não acredito, mais uma vez, que essas expressões impliquem algo mais que a descrição de uma situação de fato.

         Fiquem ligados. Atenciosamente,



The Saker

(1) -  snuff-video faz menção aos “snuff-movies” os quais são filmes que pretendem mostrar torturas ou mortes reais, sem qualquer efeito especial ou trucagem, com o fim de exploração comercial. Geralmente vistos como lenda urbana.

trad: mberublue