segunda-feira, 21 de abril de 2014

Boletim da Ucrânia (SITREP) 21 de Abril

The European Saker - in his own words:

The Saker

O caos ainda reina absoluto na Ucrânia, mas a resistência no Oriente do país se fortalece gradualmente.

Depois do ataque de simpatizantes do regime a um ponto de checagem em Slavianski, no final de semana o ministro de Relações Exteriores Lavrov acusou o regime revolucionário de Kiev de ter quebrado os termos do acordo recentemente assinado em Genebra.

Poder-se-ia argumentar que o ataque foi decidido e levado a termo pelo Sector de Direita (Pravy Sector – partido neo nazista da Ucrânia apoiado por EEUU/UE/OTAN - sendo esta aliás, a conclusão a que chegaram os cidadãos de fala russa baseados no tipo das armas e documentos apreendidos) e que o governo não consegue controlá-los. Isso deve ser mesmo verdade, apesar de ter o Pravy Sector negado envolvimento. Mas o regime declarou também que os manifestantes que ainda ocupam a Praça Maidan em Kiev têm uma permissão e que estão ali de forma legal. Na realidade, se o regime não quer se esforçar para cumprir os termos do acordo ou se não pode fazê-lo não faz a menor diferença  para os falantes de russo na oriente: eles ainda tem que enterrar o mesmo número de pessoas e ainda enfrentam as mesmas ameaças, com ou sem declarações. Olhe no link https://www.youtube.com/watch?v=9Gqipes0kHI o que os bandidos do Pravy Sector fizeram a um falante de russo (nem é necessário legenda ou tradução). Isso é apenas um exemplo entre muitos.

 Para ser honesto, eu sinto que uma solução negociada é quase impossível neste ponto. O oriente na realidade não tem mais ninguém com quem negociar.

Até agora, acho que pode acontecer o seguinte desenvolvimento:

1-) A resistência no oriente tem hoje mais armas, mais homens, mais pontos de checagem, comunicação melhor, mais organização e disciplina.
2-) Mais cidades do oriente poderão organizar algum tipo de referendo.
3-) O governo de Kiev nada fará sobre tudo isso.
4-) O Pravy Sector (Setor de Direita – partido neo nazista da Ucrânia) continuará a tentar atacar a todos os que ousarem discordar de seus pressupostos.
5-) Os militares ucranianos não obedecerão às ordens de Kiev (em relação a atacar cidadãos ucranianos do oriente).
6-) O Ocidente continuará de olhos bem fechados e apoiando o regime de Kiev em tudo o que este fizer e não fizer.

Se tudo isso estiver correto, o oriente da Ucrânia pode muito bem esquecer qualquer tipo de federação e eles promoverão a secessão. Se isso acontecer, eles provavelmente pedirão incorporação à Rússia para ter proteção e segurança. Quanto à Rússia, se houver secessão pelo oriente e este pedir proteção, não terão alternativa que deslocar tropas garantindo alguma segurança. Por outro lado, o Ocidente vai surtar de forma histérica, de proporções monumentais e a OTAN provavelmente organizará uma grande movimentação, para mostrar sua determinação em resistir bravamente caso a Rússia resolva invadir de uma vez a Polônia, a Alemanha ou mesmo Portugal.  

Quanto ao regime em Kiev? Bom, este está realmente numa  bagunça completa. Algumas coisas são até risíveis. Recentemente, chegaram mesmo a publicar uma carta aberta do Ministro do Interior parabenizando a Berkut (polícia especial anti distúrbio da Ucrânia, dissolvida pelo novo regime mês passado n. do trad.) pela sua coragem e pedindo aos seus componentes ajuda para defender a Ucrânia. Se esses neo nazistas estão hoje pedindo ajuda à mesma Berkut que eles atacaram, esfaquearam, apedrejaram, balearam, difamaram, queimaram, humilharam e dissolveram – isso significa que eles estão realmente desesperados.

Quanto ao Ocidente, desacreditou a si mesmo com o Oriente da Ucrânia em um grau tão grande que imagino que ninguém levará a sério suas promessas.

Se eu estiver correto, entraremos agora em uma fase de desenvolvimento e ruptura.

Fiquem ligados.


The Saker

trad: btpsilveira